Os números de 2014

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 2.700 vezes em 2014. Se fosse um bonde, eram precisas 45 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

10 Filmes sobre Educação

Gostei muito das dicas de filmes do ExamTime…

10 Filmes sobre Educação que você não pode perder!

  • A Sociedade dos poetas mortos, de Peter Weier (1989)
  • Corrida para lugar nenhum, de Vicky Abeles (2010)
  • Pro dia nascer feliz, de João Jardim (2006)
  • Escritores da Liberdade, de Richard La Gravenese (2007)
  • A onda, de Dennis Gansel (2008)
  • Ser e Ter, de Nicholas Philibert (2002)
  • The Wall, de Alan Parker (1982)
  • Waiting for Superman, de Davis Guggenheim (2010)
  • Entre os muros da escola, de Laurent Cantet (2009)
  • A educação proibida, de German Doin (2012)

Confira no link 10 Filmes sobre Educação a sinopse e o trailer de cada um dos filmes .

Quais os aplicativos para celular que seus alunos mais gostam?

Gostei e resolvi republicar!!
A sugestão que a Cristiane (autora do post original) nos apresenta é uma possibilidade de perceber as potencialidades e a criatividade de nossos alunos.😉

Informática na Educação

Estava eu acompanhando minha adorada timeline do Twitter quando me deparo com uma publicação do perfil @educacaolivrepp: Top 5 aplicativos favoritos, era esse o nome do vídeo no Youtube. Achei o título interessante já que adoro novos aplicativos, principalmente quando seu para meu querido Smartphone. comecei então a assistir o vídeo, foi aí que minha cabela começou a funcionar. No vídeo, uma garota (não sei precisar a idade) mostra quais são os aplicativos favoritos que ela tem utilizado em seu celular. Pensei então: porque, em um belo dia, um professor não pode questionar seus alunos sobre os aplicativos que eles utilizam? Quais suas funcionalidades? Porque escolheram justamente aquele aplicativo e não um similar utilizado pelo colega por exemplo? como eles poderia utilizar esses aplicativos em uma aula ou na confecção de um trabalho? Ao invés de proibir o uso do celular em sala de aula, porque não mostrar para o…

Ver o post original 40 mais palavras

Metáfora da arrumação do guarda-roupa

Utilizo em alguns trabalhos de formação de professores uma metáfora para explicitar o momento de mudança na educação. A metáfora da arrumação de um guarda-roupa. A gente não consegue arrumar um guarda-roupa com tudo lá dentro… Ora, para que seja possível uma organização efetiva é necessário “tirar tudo pra fora”. Este momento pode parecer uma bagunça, porque tudo fica desorganizado. Mas o “tirar do guarda-roupa” não significa jogar fora tudo o que lá está. Porque há muita coisa que me serve… que me é útil… Mas é verdade que há muita coisa que precisa ser reciclada, jogada fora, dada a outros que ainda não tem… Será difícil que eu me desfaça de muitas coisas. Será doído se desfazer de algumas roupas que eu tenho usado durante muitos anos… Feita esta seleção (um diagnóstico e um planejamento) bem feita, é possível retornar ao guarda-roupa somente com o que realmente vou utilizar e me será útil… Vou poder perceber até que uma roupa, às vezes bem velhinha, pode ser reformada e pode continuar sendo usada… Posso encontrar roupas que estavam “lá no fundo” e que eu não usava mais porque nem lembrava que ali estavam porque muita coisa desordenada fora colocado na frente. E, no final de tudo isso (deste grande processo), vai me sobrar espaço no guarda-roupa para novidades… Para completar com coisas novas… Talvez com roupas mais coloridas e mais alegres e que caiam bem no momento atual… Não somente porque “é a moda”, mas porque eu (professor!) realmente me sentirei bem com as roupas novas, misturadas com algumas antigas, com novos acessórios, fazendo um look totalmente “repaginado” e renovado. E o guarda-roupa estará organizado para eu possa visualizar e dispor das peças conforme for conveniente e adequado para cada ocasião. Por um tempo o guarda-roupa vai ficar super organizado, mas no dia-a-dia ele irá ser desorganizado. E precisará de novas arrumações… É um processo! A mudança é isso… Um eterno arrumar o guarda-roupa…

 

Refletindo sobre educação… Alunos e Professores…

Uma brava guerreira no corpo de menina
Texto de Eliana Mara Chiossi

No último sábado, aconteceu outro encontro inquietante: os professores inquietos, sob a regência de Adriana Gandin, reunidos para descobrir as potencialidades dos usos de novas tecnologias, como o IPAD, para renovação no modo de fazer as aulas acontecerem. No meio do encontro, chega uma convidada especial, já esperada por nós.

Entra na sala uma mocinha, quase menina, magrinha, cabelos cacheados, tímida e aparentemente frágil. Depois de ser apresentada, ela inicia sua participação, mostrando seu ponto de vista, enquanto aluna, sobre o atual estado da educação. Ela está no segundo ano do Ensino Médio de um colégio particular de Porto Alegre.

Após alguns minutos, o que eu via ali na frente era uma guerreira, com coragem suficiente de falar, para uma plateia de professores, que ela não acredita que o sistema educacional possa continuar do jeito que está. Que há alunos que pensam como ela. E que do jeito que a escola anda funcionando parece muito semelhante a um sistema industrial ou uma prisão.

Ao mesmo tempo que ela não estava dizendo algo novo, certas reações indicavam que ela dizia algo parecido com uma heresia. Como poderia uma aluna chegar diante de professores e simplesmente por o dedo na ferida que não cessa? A escola, do jeito que está, ou muda ou sucumbe.

E esta mocinha disse isso, do fundo de seu coração puro, com coragem, com determinação, porque ela quer mais, ela não quer apenas ser aprovada no Vestibular, ela não quer mentir para ser aprovada. Ela quer acreditar no que acontece dentro da escola, para poder acreditar que a escola quer fazer um mundo melhor.

Quando ela saiu, senti que ficou um vazio, desses vazios escandalosos, que fazem barulho. Era preciso seguir nosso roteiro. Era preciso fazermos nossas atividades. Mas talvez se fosse possível, poderíamos ter ficado em silêncio, por algum tempo, deixando que as palavras desta menina nos atingissem, na mente, no corpo, na alma. Nós, que estamos buscando diariamente a coragem para manter a inquietação, a coragem para fazer da educação aquilo que ela precisa fazer: a diferença. E só se faz diferença sendo corajoso suficiente para fazer diferente todos os dias.

 

 

 

Dicas de aplicativos para iPad

Talking Gina

Quero destacar aqui alguns aplicativos (apps) que não são tão falados, mas que servem, e muito, para um trabalho pedagógico com crianças. 
Hoje decidi escrever especialmente sobre o Talking Gina. Um app free na Apple Store. Trata-se de um aplicativo de uma girafinha extremamente simpática, a Gina. Ela repete tudo o que você fala, com possibilidade de gravar e de postar diretamente no YouTube. É preciso cuidar dela alimentando-a e fazendo carinho!!😉


Talking Gina

Entre as diferentes interações que se pode ter com a Gina, destaco o jogo de mãos (aqueles que jogávamos quando éramos crianças). No jogo, você deve acertar as mãozinhas (e depois os pezinhos) da girafa de forma correta, trabalhando ritmo de uma forma super interessante e dinâmica. Imagino uma atividade de sala de aula: primeiro jogar o jogo das mãos com a Gina (girafinha) e depois reproduzir os movimentos com os colegas de sala, trabalhando a interação com a tecnologia e depois com os colegas, sendo uma atividade rica e bastante interessante para as crianças.