O tablet chega a sala de aula

Para Adriana Beatriz Gandin, diretora pedagógica do projeto “iPad na sala de aula”, o uso do tablet na escola “é fantástico, desde que haja um projeto de trabalho bem estruturado”. Para isso, é aspecto fundamental preparar o professor para o uso das novas tecnologias. “A utilização de recursos culturais de docentes e estudantes fará com que uma verdadeira parceria se forme e o interesse pelas aulas tenda a aumentar, pois os alunos se sentirão colaboradores e coautores e não apenas pessoas que recebem material para decorar. Consequentemente, o rendimento escolar tende a melhorar”, analisa Adriana.

Entre as possibilidades de uso dos tablets em sala de aula, ela elenca a utilização de inúmeros aplicativos para o trabalho com conteúdos específicos; a realização de vários tipos de apresentação; pesquisa na internet; elaboração de textos, fotos e vídeos; criação de projetos interdisciplinares e de conteúdos para blogs, entre outras.

Trecho da entrevista de Adriana Beatriz Gandin, concedida para a Revista Gestão Educacional.

Anúncios

Entrevista na Revista Integração n° 109 / 2012

Recentemente fui convidada a participar de uma entrevista para a Revista Integração, da Rede La Salle.Entre outras temáticas relacionadas à educação, conversamos sobre TECNOLOGIA.

Abaixo, transcrição do trecho final da entrevista…

Revista – De acordo com Miles Berry, especialista em tecnologia da Educação da Universidade de Roehampton, de Londres, a aprendizagem acontece através da experiência, da exploração e da interação. A tecnologia oferece essas possibilidades. Que práticas que favoreçam essa interação podem ser adotadas em sala de aula?

Iara – Acredito que não se trata da tecnologia em sala de aula. Trata-se de um mundo tecnológico que não se pode mais negar. Estamos em outra realidade em que as relações são atravessadas por isso. Precisamos permitir ao professor que faça essa experiência nova, que ele se inclua nesse processo e dê visibilidade. Porque é através desta tecnologia que este sujeito, essa criança, se mostra, o que muitas vezes não acontece em sala de aula.

Adriana – A discussão já não é mais se a tecnologia deve ou não deve entrarem sala de aula, pois ela já entrou. O que precisamos discutir é a forma como estamos trabalhando. Isto é, não adiantautilizarmos o tabletse fornecermos oconteúdo pronto para os alunos lerem, sem que haja interação. Será a mesma coisa que utilizarmos uma folha de papel ou um livro didático. Ou seja, temos que mudar o panorama, tem que haver interação.

Karin – Com certeza. Não adianta mudar a ferramenta, precisamos mudar a forma de utilizá-la, abandonar modelos antigos. As tecnologias estão ai para que possamos aprender mais. O estudante quer aprender de outra maneira. Trago como exemplo prático o que já acontece em nossas escolas lassalistas. Em uma aula de geografia, onde analisamos o relevo de forma tridimensional, é uma maneira de olhar aquele lugar de uma outra forma. É uma ferramenta que enriquece o trabalho do professor, que vai ajudar o aluno a aprender mais.

Adriana – A tecnologia vem para somar, para agilizar o processo, não para substituir o professor. A discussão é a mesma com ou sem tecnologia. A tecnologia tem que ser pensada a serviço do conhecimento. Através dela, estecidadão descobre outras formas de se expressar e ter visibilidade. O modelo de trabalho é que faz a diferença.

Revista – Quais são as perspectivas para a escola do futuro?

Iara – Nós acreditamos numa escola que socialize conhecimentos, quepossibilite um processo de construção da autonomia e da cidadania. Acreditamos em uma escola que está em processo de formação e de transformação. Estamos em um momento que tudo está mudando, realmente é um desafio grande.

Adriana – Todas as carreiras estão desafiadas a se adaptarem a esta nova realidade. É importante que o professor se dê conta de que isso não é um privilegio dele.É impossível não se pensar em continuar estudando, não se apropriar de certas tecnologias, pois o mundo é esse. Formação continuada é essencial. Vamos ter de nos acostumar que a única coisa verdadeira e permanente é a mudança.

 

Sobre as ENTREVISTADAS…

Adriana Gandin

Assessora Educacional da Rede La Salle de Educação. É Pedagoga e Especialista em Gestão de Pessoas, com ênfase em comunicação interna. Autora de dois livros sobre Projetos na Escola. Atua como diretora pedagógica no projeto iPad na sala de aula, ligado à EADesenvolvimento humano Ltda.

Iara Caierão

Presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia – Seção RS. Possui graduação em Pedagogia Habilitação em Supervisão Escolar, é Mestre e Doutora em Educação. Coordenadora e professora do Centro de Formação Docente/Passo Fundo/RS.

Karin Flores

Supervisora Educativa e Coordenadora Pedagógica do Colégio La Salle Dores, de Porto Alegre. É pedagoga, especialista em Educação Infantil e em Supervisão Educacional.



Cadernos digitais

Combinei com o Filipe do iHelp BR que iria escrever um post com dicas de cadernos digitais para iPad.

As aulas recomeçaram e sabemos que muitas escolas estão, aos poucos, adotando o iPad (ou aceitando o uso) como ferramenta de trabalho e de estudo em sala de aula.

O uso de um caderno digital é muito importante para a organização do estudante. É claro que cada pessoa vai escolher qual é a melhor opção para os seus registros diários; porém, decidimos ajudar nessa escolha.

Com excessão do Bamboo Paper, todos os outros ‘cadernos’ permitem escrita usando o teclado ou a escrita com o dedo e a caneta touch. Um recurso interessante que todos (com excessão do Bamboo Paper) esses novos ‘cadernos’ tem é a gravação de voz.

Então, vamos aos apps de caderno digital…

É sempre importante ler os comentários e a avaliação do app na Apple Store. ;-)

Noterize – Grátis

Notes Plus – US$ 7,99

Caderno – Grátis ou US$0,99

Bamboo Paper – Grátis

Notability – US$ 0,99

Texto originalmente publicado em http://ihelpbr.com/volta-as-aulas-com-o-ipad/

Descobrindo maneiras de ensinar e aprender…

Trabalho como diretora pedagógica do projeto “iPad na sala de aula”, que tem como principal objetivo formar professores para o uso da tecnologia, especialmente o iPad, mas também capacitar gestores, formadores e multiplicadores. O que buscamos fazer é trazer aos nossos ‘alunos’ (professores, multiplicadores e gestores) uma reflexão sobre o que está acontecendo no mundo hoje: As ‘revoluções’ já ocorridas no mundo virtual com a introdução das novas tecnologias, das mídias sociais e do ‘mundo do compartilhamento’ e as que ainda teremos de fazer que inclui a mudança nas práticas educativas, introduzindo novos modelos de ensino que sirvam para construir um ambiente de sala de aula que seja de aprendizagem permanente para todos os atores (professores, alunos, gestores, famílias…).

É preciso compreender o que Paulo Freire nos ‘dizia’, e que hoje faz muuuuuito sentido, que é impossível educar (formar) alguém. Cada um (alunos, professores, gestores…) ‘se educa’ com ajuda dos outros. A frase dele é “Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo.” E hoje, mundo real e mundo virtual a partir do compartilhamento.

Tenho convicção que não é possível fazer um bom trabalho de formação (pontual ou continuada), usando os métodos de aula que condenamos (e queremos romper!); por isso, a ideia é trabalhar com construção de projetos, oficinas e vivências práticas, criação de fóruns permanentes, trazendo a experiência que cada um tem para dar sentido às novas aprendizagens.

Os professores (e também os gestores e até os alunos) tem em mente a escola em que aprenderam. Se ela foi tradicional, a tendência é reproduzir isto. Se ela foi boa e democrática, tendem a reproduzir isto também. Então, o importante é “vivenciar” boas práticas!

Termino com outra frase de Paulo Freire que ajuda muito a refletir sobre isso tudo… “Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.”

Não é fácil, mas não é impossível!! E é uma ‘luta’ necessária!!

 

Vantagens do uso do iPad como ferramenta pedagógica

Muitos textos estão sendo escritos sobre o uso de tablets na escola. Eu mesma já escrevi sobre esta temática. Um dos meus textos foi publicado aqui no jornal Brasil 247 no mês de outubro deste ano (leia aqui). Participo do programa iPad na sala de aula que tem como principal foco e objetivo a formação de gestores e professores para o trabalho com as novas tecnologias e as novas mídias, especialmente usando o iPad. Tenho trabalhado com muitos grupos de formação e de treinamento, o que me fez construir uma lista contendo as vantagens do uso do tablet, especialmente o iPad, como ferramenta pedagógica. Abaixo, elenco algumas delas:

• Busca de informações e realização de pesquisas. Não somente na internet, mas também em aplicativos de jornais e revistas.

• Agilidade na partilha de informações entre alunos e professores.

• Mobilidade: com o iPad é fácil estar em grupos ou sentado em “roda” no chão ou em espaços abertos, fora da sala de aula. Não é necessário deslocar-se ao laboratório de Informática.

• Facilidade de realizar registros: anotações, gravações de voz, filmagens etc.

• Diminuição do peso das mochilas com a utilização de livros e textos digitais.

• Possibilidade de customização das aulas que podem ser construídas e organizadas de acordo com a realidade de cada série e turma, o que dificilmente acontece quando ficamos presos a apostilas e livros didáticos.

• Segurança: o controle de acesso aos aplicativos e a sites pré-selecionados é mais facilitado do que em um computador.

• Facilidade para o desenvolvimento de trabalho com projetos transdisciplinares.

• Salvamento automático, evitando perda de conteúdo.

• Utilização para jogos pedagógicos e atividades lúdicas.

• Diferentemente de desktops e notebooks, o iPad não atrapalha o contato visual entre alunos e professor.

Você conhece o aplicativo Toontastic?!

Imagine poder criar uma história com vários personagens e com gravação de sua própria voz… Ou das crianças com as quais você convive…
Sim, isto é possível com o Toontastic.
As crianças amam criar histórias e com este aplicativo fica ainda mais divertido. Podem criar histórias sozinhas ou em pequenos grupos, ajudando muito no trabalho pedagógico e no desenvolvimento da criatividade.
A criança faz o planejamento da história, escolhe o cenário (definido ou desenhado por ela) e os personagens, grava as vozes dos personagens e ainda escolhe uma fantástica trilha sonora.
Depois de finalizar a história, é possível compartilhar a sua criação com amigos, no Twitter e no Facebook.
Também pode ser compartilhado no site ToonTube

Assista o vídeo abaixo e conheça algumas funcionalidades do aplicativo.

 

Visite também o site Toontastic

 

iPad na sala de aula

Leia e divulgue o meu texto sobre o programa iPad na sala de aula, publicado no Jornal 247.Abaixo, link direto para o texto:

iPad na sala de aula